6 Dicas De Como Desenvolver Confiança Para Começar A Viajar

Às vezes a parte mais difícil em fazer alguma coisa, é começar a fazê-la, especialmente quando você sabe que isso vai te tirar da sua zona de conforto. Viajar é incrível, mas não é fácil, e com certeza a parte mais difícil, é começar. Não importa se você sempre quis viajar ou se esperou anos por isso, quando acontece, você vai sentir aquele friozinho na barriga. Experiência própria.

É normal ficar nervoso com algo novo, faz parte da natureza do ser humano, mas não deixe isso te segurar. A melhor coisa a fazer e segurar as emoções e se fazer confiante. Aqui vão 6 dicas de como:

Comece pelo seu quintal

Às vezes, pensar em sair de casa para atravessar o oceano pode parecer meio assustador, e talvez, realmente seja. Então porque não começar por perto? Viajar no seu próprio país é um bom modo de se começar, isso te ajuda a criar confiança em você mesmo e ainda te dá a chance de conhecer lugares incríveis perto de você e conhecer um pouco mais do seu país e cultura.

Você pode começar visitando algum familiar ou convidar seus amigos para viajar à algum lugar. Tente procurar lugares que você gostaria de conhecer perto da sua área, talvez você vai acabar encontrando algum lugar incrível que quase ninguém conhece!

Escolha um destino que não te de um choque cultural

Conhecer culturas diferentes é o ponto alto de qualquer viagem ao exterior, tomar um chá da tarde na Inglaterra, ver homens usando saias na Escócia ou assistir casais dançando Tango na Argentina são maneiras ótimas de experimentar um pouco da cultura local, mas seja esperto quando for escolher o destino. Choque Cultural pode ser divertido, mas pode também acabar com a vibe, te assustando na sua primeira viagem. Se essa é a sua vez viajando, escolha um destino que não teste muito o seu nível de tolerância.

Lugares exóticos proporcionam experiências incríveis, mas eu clarifico a maioria deles como Level Hard, e eu recomendo você a não pular estágios. Se essa é a sua primeira vez viajando, tente manter as coisas de forma simples. Escolha um país que não te dê um grande Choque Cultural, algo que você já esteja mais acostumado. Países como do Oeste Europeu e América do Norte, são ótimos para se começar.

Escolha um destino onde as pessoas falam a sua língua ou uma língua que você se sinto confortável.

Nada pior do que não conseguir se comunicar com os outros, barreiras de linguagem podem ser um problemão se você está em outro país. Se você não se sente confortável em nenhum outro idioma além do seu próprio, tente começar viajando para um país que fale o mesmo idioma que o seu. Isso vai tornar as coisas mais fáceis se por um acaso você precisar de alguma ajuda.

Também é importante lembrar que não todo mundo que fala inglês, mesmo sendo um idioma que universal, há lugares onde ninguém fala inglês. Mesmo falando inglês, você provavelmente encontraria grande dificuldade em se comunicar em países da Ásia e Oriente Médio por exemplo. Então se você não tem muita experiência com viagens e não se sente seguro o suficiente para encontrar seu caminho sem ajuda, tente começar por um destino não tão exótico.

Escolha um país desenvolvido

Vivendo em um País de Terceiro Mundo, eu posso afirmar com toda a certeza o quão ruim um País de Terceiro Mundo é. As coisas não funcionam do jeito que deveriam funcionar, serviços públicos são terríveis. Transporte público é de péssima qualidade e estão sempre atrasados. As vezes a cidade tão é tão limpa nem tão segura também.

Eu sei como é diferente de um País de Primeiro Mundo e por isso, essa é a 4ª dica, se você é um viajante de primeira viagem e ainda está tentando criar confiança ou se você não nasceu nem cresceu em um País de Terceiro Mundo, não escolha um País de Terceiro Mundo como seu primeiro destino. As vezes isso complica bastante a sua viagem. Muitas vezes, nesses países você não vai ter metros ou os ônibus não vão circular religiosamente a cada 5 ou 10 minutos, eles provavelmente não vão nem te levar em todos os pontos que você gostaria de conhecer.

Esse é apenas um exemplo pequeno de um dos motivos para não escolher um país não desenvolvido na sua primeira viagem. É motivo para nunca visitar? NÃO! Eles são essenciais, mas espere até você ter um pouco mais de experiência.

Comece com um curto período de tempo

Viajar muda completamente a sua rotina do dia para noite, você vai estar em um país diferente, com pessoas que você não conhece, falando uma língua que as vezes não é a sua nativa. É uma grande mudança. Antes de deixar a sua casa, você não sabe muito bem o que esperar, não tem certeza de como você vai lidar com o novo lugar. Te tira totalmente da sua zona de conforto.

Se você tem um mix de sentimentos e não se sente totalmente confortável com a ideia de passar muito tempo longe de tudo que você conhece como lar desde sempre, marque um período menor de estadia para sua viagem. Ao invés de ficar um mês na sua primeira viagem, fique uma ou duas semanas. Você vai ter uma ideia melhor de como age e se acostuma com a mudança e vai se sentir mais seguro com você para poder ficar mais tempo na próxima viagem.

Escolha uma boa companhia

Eu admiro essas pessoas que viajam sozinhas pra lá e pra cá, eu pessoalmente, nunca tentei. Isso requer bastante coragem para simplesmente colocar uma mochila nas costas e sai sozinho pelo mundo desse jeito. Apesar de que deve ser uma experiência incrível, não é algo que todo mundo tem coragem de fazer.

Se você não gosta de viajar sozinho, tente procurar uma boa companhia para ir com você, como um amigo, um irmão, pai, mãe. Uma pequena dica aqui, tente encontrar alguém que seja parecido com você em gostos e disposição. É um pouco complicado quando você quer fazer A e a pessoa quer fazer B.

Edimburgo – O Que Fazer Na Capital Escocesa?

Quem sai de casa e diz: Vou para Edimburgo?
Eu! Eu faço esse tipo de coisa, no final das contas, porque não né?

Sinceramente, a decisão de ir para a Escócia foi bem aleatória, eu não conhecia ninguém que já tivesse ido e tudo que eu sabia da Escócia foi o que eu aprendi em filmes super educativos como Baby o porquinho ou documentário sobre o monstro do lago Ness.

O que rolou foi que consegui uma passagem barata pra Londres, mais eu já conhecia Londres e não queria passar mais de uma semana lá de novo, ai começamos (yo y mi mama) a procurar o que mais podíamos fazer. A Irlanda já parecia muito desbravada então resolvemos fazer uma expedição à Escócia.

Chegamos sem saber muito que esperar, a ideia era conhecer alguma cidade grande e as Terras Altas. As duas cidades principais são Edimburgo, a capital do país bem como capital histórica e cultural e Glasgow, a capital econômica. Claro que se você tiver mais tempo, vale conhecer as duas, mas caso não, então Edimburgo vale mais a pena.

O Que Fazer

Apesar de ser a capital Edimburgo não é uma cidade tão grande como Paris e Londres, por exemplo, e o centro histórico é bem separado do centro novo, basicamente todos os pontos turísticos estão divididos em duas únicas avenidas, Royal Mile (ou High street, nomes diferentes para a mesma rua) e Prince’s Street. A primeira é a avenida que liga os pontos turísticos mais históricos, vai do Palácio de Holyroodhouse até o Castelo de Edimburgo dando caminho ao Trono de Arthur’s Seat. Já a segunda é a avenida das lojas mais novas como H&M, Forever21, e a queridinha dos gringos sem dinheiro: Primark.

Edimburgo tem quatro pontos mais elevados onde você pode ter uma visão mais periférica da cidade, uma no terraço do Castelo de Edimburgo no final da Royal Mile, outro é o Calton Hill onde fica alguns dos pontos turísticos da cidade, incluindo o Nelson Monument, uma torre onde você pode subir e ter uma vista 360 graus da cidade, o valor para subir é de £5, outro ponto é o Arthur’s Seat, o morro mais alto da cidade, fica ao lado do Calton Hill, mas se você prefere algo mais centalizado, pode tentar subir o Scott Monument, um monumento que fica na Prince’s Street perto da estação central da cidade, o preço para subir os 287 degraus é de £4.

DSCN23khjh23.jpg

DSCNfgdfg2454.jpg

sdfdg.jpg

Eu não vou mentir, não é uma cidade que tem a necessidade de se passar mais que 3 dias. Mas é uma cidade linda. O bom é que como Edimburgo ainda esta meio fora da rota dos turistas, a cidade não é aquela lotação de gente pra todo lado no melhor estilo 25 de Março como acontece em muitas cidades da Europa. Fora que é tão fácil de se locomover que no segundo dia você já se sente em casa. Eu sou meio chata, eu demoro uns 3 dias pra me acostumar com cada cidade, e até então, eu fico meio desconfiada de tudo.

A arquitetura da cidade também é bem interessante, muito medieval, os prédios são na maioria feitos de pedras acinzentadas, muitos tem torres como se fossem pequenos castelos. Pelas ruas você encontra uns becos meio escuros que levam pra outras ruas, dignos de algum filme investigativo. Ai você para e pensa em todas as histórias que podem ter surgido de cada beco daquele.

sdff.jpg

vdfbgdfgb.jpg

Pela Royal Mile você encontra várias lojinhas de souvenir, saia para homens (kilt) é o que não falta, e se você se encarna, tem várias cores, para todos os gosto. Seguindo a tradição escocesa, todo homem ganha um kilt da família quando ele completa 18 anos. A cor do kilt varia conforme a família da pessoa.

Pra quem gosta de Whisky ou esta atrás de um presente pro seu pai, como foi o meu caso, você se sente perdido no meio de tanta opção! E se você está pensando em comprar um, a minha dica é, compre um que você não conheça, e que não seja comum onde você mora, pelo simples motivo de que não tem porque você viajar meio mundo só pra comprar uma bebida que você compraria na esquina de casa.

O Que Comer

Indo pra Escócia você também não pode deixar passar a oportunidade única de comer a comida típica que é o Haggis, bucho de carneiro recheado com vísceras do próprio carneiro (baita oportunidade) a ideia parece meio desagradável no começo, mas sabe que não é tão Jan 2017 176.pngruim? O meu eu comprei em uma feirinha no Prince Street Garden. É uma comida pesada e bem apimentado, bom no inverno.

Agora, caso você vá para Edimburgo mais interessado nos líquidos. Nada te impede de começar pelo The Scotch Whisky Experience. Os tours variam de £15 à £36. Lá você aprende um pouco sobre a ciência por trás do Whisky, aprende alguns costumes e curiosidades e no final você tem a degustação onde é apresentado whisky de várias regiões diferentes da Escócia.

Como Chegar

Edimburgo tem um aeroporto internacional próprio, é possível pegar voos com escala até lá. Caso você já esteja na Europa, há varias companhia operando lá, incluindo low cost como a Ryanair. Saindo de Londres, o voo sai do aeroporto de Stansted em Londres e demora em média uma hora e meia.

Há também a possibilidade de ir de trem. Todos os trem que partem de Londres em direção a Edimburgo saem da estação King’s Cross ou da estação Euston. São duas as companhias que fazem esse trajeto, a Virgin Trains East Coast (eu fiz o trajeto com essa companhia) e a Cross Country. O tempo médio da viagem é de 4 horas e 20 minutos.

Em Edimburgo todos os trens chegam à estação Waverley Station, que é a estação central da cidade. Alguns trens (os com destino há cidade de Aberdeen no norte da Escócia) parem também na Haymarket Station, mas é sempre bom garantir antes, na dúvida é melhor descer na Waverley Station mesmo, já que ela fica a só uns 15 minutos andando da Haymarket Station.

Caso você já more na Europa, você pode comprar os ingressos diretamente do site oficial dessas empresas, mas caso você não esteja morando na Europa e não tenho um cartão de credito europeu, só conseguira comprar a sua por sites terceirizados, no meu caso, comprei pelo Rail Europe o valor no ticket é um pouco mais alto que do site oficial, mas nada exorbitante.

A viagem de trem é um pouco cansativa mas vale a pena, durante uma parte do percurso, ente New Castle e Edimburgo você ainda tem uma visão do Mar do Norte.

dfdf.jpg

Com os tickets comprados você pode retira-los diretamente na estação, há algumas maquinas para isso, você vai inserir o serial que a empresa vai te enviar por email e a maquina vai imprimir seus tickets. Caso você tenha dificuldade ou desconfiança com a tecnologia (como eu, e olha que eu nasci na década de 90) você pode pegar a fila onde compra tickets na estação e pedir para a pessoa do caixa imprimir o seu, o ticket vai estar disponível para retirada 2 horas depois da compra. Eu retirei o meu na estação de St. Pancras (no fundo da estação tem um clichê) fica ao lado da estação King’s Cross.